Porque virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas, tendo grande desejo de ouvir coisas agradáveis, ajuntarão para si mestres segundo os seus próprios desejos, e não só desviarão os ouvidos da verdade, mas se voltarão às fábulas. (2 Timóteo 4.3,4) - Tu, porém, fala o que convém à sã doutrina. (Tito 2.1)

sábado, 15 de março de 2008

Seria o Papa um Faraó?

Faraó: Primeiro Papa?


Recentemente com o anúncio do Bento XVI de novos "pecados capitais" me veio a lembrança de uma autoridade religiosa semelhante ao mesmo: Faraó!
O Papa carrega sobre si o título de vigário de Cristo, ou seja, substituto do mesmo e também o de sumo pontífice, ou seja, o máximo elo de ligação a Deus. Diante disso, fica inevitável a analogia:

Faraó
1 - Representante de Deus na Terra

2 - Chefe de Estado

3 - Mesmo se fosse mulher teria de se portar como homem.

4 - Rodeado de riquezas

5 - Toda população se reunia para ouvi-lo




Papa
1 - Vigário de Cristo e Sumo Pontífice

2 - Chefe do Estado do Vaticano

3 - Cargo só ocupado pelo sexo masculino

4 - O patrimônio do Vaticano está avaliado em mais de 700 milhões de euros, sem contar riquezas inestimáveis, como a Basília de São Pedro e a Capela Sistina. Contanto tudo, os ativos do Vaticano ultrapassam os US$ 5 bilhões. (dados de 2005)

5 - Quando há anúncios e decretos do Papa, todos os jornais e mídia geral se voltam para tomar nota.

Porém, apesar dessas todas semelhanças o Faraó ainda tem um ponto "superior" porque ele fazia as águas do Nilo baixarem com o seu famoso: "Chega!"